Hospital Santa Rita

20 de Janeiro de 2021 -

13/01/2021 - 15:16:54 - Atualizado em 13/01/2021 - 15:17:43

Notícias

Fique por dentro de todas as novidades que acontecem no Hospital Santa Rita.

Voltar

Curso com cirurgia inédita no ES será realizado no Santa Rita

No sábado (16/01), o Hospital Santa Rita, instituição mantida pela Afecc, sediará o Curso para Tratamento Cirúrgico do Adulto com Curvatura Peniana, quando será apresentada a técnica de correção de curvatura com enxerto de membrana de pericárdio bovino (L-Hydro®), procedimento que permite a manutenção do tamanho do pênis, evitando perdas no comprimento da haste peniana, promovendo maior qualidade de vida para o paciente que sofre com este problema.

O curso será coordenado pelo urologista do Hospital Santa Rita, Dr. Thales Mendes Miranda, trazendo o que há de mais atual no campo da urologia reconstrutora, para capacitação dos urologistas do Hospital e tornar o Santa Rita referência nesse tipo de tratamento no estado.

Para ministrar o curso, o urologista convidado é o Prof. Dr. Eloísio Alexsandro da Silva Ruellas, professor Adjunto de Urologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e referência no assunto.

O curso teórico será ministrado pelo Dr. Eloísio na próxima sexta-feira (15/01).  E no sábado, no Hospital Santa Rita, serão realizadas duas cirurgias demonstrativas com a nova técnica de correção com enxerto.
 
CURVATURA PENIANA
 
De acordo com Dr. Thales Mendes, todos os homens, quando estão com o pênis em estado de ereção máxima, tem algum grau de tortuosidade. Desvios de até 20 graus são considerados fisiológicos e não dificultam a penetração em nenhuma posição.

Já uma curvatura maior do que 20 graus é considerada patológica e afeta um em cada dez homens.
Ainda segundo Dr. Thales, a curvatura pode ser congênita, quando o indivíduo nasce com esse desvio, ou adquirida, denominada Doença de Peyronie, condição que afeta homens acima de 40 anos de idade que previamente tinham o pênis sem nenhuma tortuosidade.

A doença de Peyronie tem como causa principal microtraumas que ocorrem ao longo de toda a vida sexual, desenvolvendo uma cicatriz na túnica albugínea, tecido que cobre o mecanismo de ereção do pênis, e costuma manifestar-se por meio de fibroses.  Quando não tratada, essa curvatura evolui com o passar do tempo, tornando as relações sexuais muito difíceis ou até mesmo impossíveis, além de provocar dores na ereção. 

compartilhe: