Hospital Santa Rita

19 de Outubro de 2021 -

04/10/2021 - 10:16:05 - Atualizado em 04/10/2021 - 10:59:24

Notícias

Fique por dentro de todas as novidades que acontecem no Hospital Santa Rita.

Voltar

Cirurgia inédita no ES permite operar próstatas de grande volume sem necessidade de cortes

Um problema urinário comum que afeta homens com mais de 50 anos de idade, a Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) ou aumento prostático benigno, que provoca dificuldade para urinar e afeta, consideravelmente, a qualidade de vida masculina, já pode ser tratado com cirurgia a laser minimamente invasiva e o paciente ter alta hospitalar em 24h.

De forma inédita no Espírito Santo, o urologista Dr. José Antônio Prezotti, que integra o corpo clínico do Hospital Santa Rita, realizou, nesse fim de semana, a Enucleação Endoscópica da Próstata com Laser Holmium (HoLEP), o mais avançado padrão de tratamento cirúrgico para o crescimento benigno da próstata.  

Foram feitas três cirurgias minimamente invasivas em pacientes na faixa etária de 60 anos de idade. Dois procedimentos no dia 1º e um no dia 2 de outubro. Todos passam bem e tiveram alta hospitalar 24 horas após o procedimento. Os procedimentos cirúrgicos foram acompanhados pelo urologista Dr. Alexandre Iscaife, especialista em cirurgias minimamente invasivas, com atuação na cidade de São Paulo.

De acordo com Prezotti, os resultados com o HoLEP são bem superiores às cirurgias abertas e endoscópicas. “Esse novo procedimento é realizado pela via transuretral, onde utilizamos um delicado e fino aparelho que permite a passagem da fibra laser pelo canal da uretra. Com o laser, conseguimos retirar a próstata, mantendo sua capsula externa e preservando as inervações, o que reduz drasticamente o risco de impotência sexual pós cirurgia”, explica o médico.

Ainda segundo ele, o procedimento à laser permite “empurrar” o tecido extraído para dentro da bexiga e depois, com um outro aparelho, ele é fragmentado e aspirado. Ao final do procedimento, é colocado um cateter por apenas 24h, sendo retirado após esse período quando, então, o paciente pode receber alta hospitalar após urinar espontaneamente. A grande maioria dos pacientes permanece no hospital por apenas 24h.
 

Benefícios

  • Menor tempo de internação hospitalar (média de 24h)
  • Redução do risco de sangramento intraoperatório e pós-operatório (especialmente quando comparado com a cirurgia aberta)
  • Redução drástica nas chances de nova cirurgia
  • Indicado para pacientes que usam anticoagulantes e antiagregantes plaquetários
  • Menor risco de complicações na ereção, prazer e orgasmo

Tecnologia alemã
O aparelho que possibilita Enucleação Endoscópica da Próstata com Laser Holmium (HoLEP) possui tecnologia alemã e foi importado pela Angiosuturi, que trouxe para o Espírito Santo. O equipamento está disponível no Complexo de Cirurgia Robótica e Alta Tecnologia do Hospital Santa Rita, em Vitória, para pacientes de convênios e particulares. O SUS não cobre esse tipo de procedimento.
 

Causas da Hiperplasia Prostática Benigna
A partir dos quarenta anos de idade inicia-se um processo de crescimento da zona de transição da próstata, na região peri-uretral, que acometerá 80% dos homens.

Esse crescimento, esclarece o urologista José Antônio Prezotti, não causa necessariamente sintomas de obstrução em todos os homens, mas sim em 30% a 60% de todos os homens acimas dos 65 anos. “O processo é benigno e não tem relação com o câncer, porém, causa obstrução em graus diversos, desde sintomas leves até a retenção urinária”, informa o médico.
 
Sintomas
  • Redução do jato urinário.
  • Aumento da frequência urinaria, principalmente à noite, o que prejudica a qualidade do sono.
  • Vontade urgente de urinar, com eventuais perdas antes de chegar ao banheiro
  • Dificuldade para iniciar a micção e sensação de esvaziamento incompleto da bexiga
  • Retenção urinaria. Sintoma mais grave, sendo necessária a intervenção médica com passagem de sonda para possibilitar o esvaziamento da bexiga.

Diagnóstico
  • Consulta clínica
  • Exame de toque retal da próstata
  • Exames complementares, como PSA (Antígeno Prostático Específico), ultrassonografia da próstata, ultrassonografia Trans-retal da Próstata (USTR), urofluxometria liver e, estudo urodinâmico, exame de urina, ressonância magnética da próstata.

Fatores de risco
  • Obesidade
  • Síndrome metabólica
  • Sedentarismo
  • Herança genética
Obs.: A grande maioria não apresenta fator de risco evidente. Mas a atividade física regular e uma dieta saudável são fortemente recomendadas em pacientes com hiperplasia da próstata.

Tratamento medicamentoso
Nem todas as hiperplasias prostáticas benignas necessitam de cirurgia, podendo ser tratadas com medicamentos. A indicação da medicação depende da gravidade dos sintomas, do tamanho da próstata e da presença de fatores de risco, informa o médico.

Muitos pacientes se beneficiam com as medicações, mas os que apresentam sintomas mais intensos, complicações, piora e progressão dos sintomas ou que não toleram as medicações por efeitos adversos (disfunções sexuais por exemplo) necessitam de cirurgia e a Enucleação Endoscópica da Próstata com Laser Holmium (HoLEP) é a mais avançada no momento.

Veja como é feito o procedimento cirúrgico

EXEMPLO EM LARANJA E COMO É FEITO NA PRÓSTATA

                                                  
                                                                        
Equipe médica                                   
                                                                                         
 
                                                                                         

compartilhe: